Petróleo sobe a US$ 99,49 com aposta sobre demanda

Na ICE, o petróleo Brent subiu 0,87%, a US$ 112,39 o barril

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

20 de maio de 2011 | 17h23

Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, depois de uma volátil sessão, à medida que os compradores voltaram ao mercado antes do vencimento, e os corretores continuaram confiantes de que a demanda de longo prazo está aumentando.

Os preços dos contratos do petróleo para entrega em junho, que venceram após o encerramento da sessão, subiram US$ 1,05, ou 1,07%, para US$ 99,49 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). Na semana, o contrato para junho acumulou queda de 9,65%. Já os contratos do petróleo para julho fecharam com elevação de US$ 1,17, ou 1,18%, para US$ 100,10 o barril.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o petróleo Brent para julho subiu US$ 0,97, ou 0,87%, a US$ 112,39 o barril, mas encerrou a semana com queda acumulada de 1,27%.

Os contratos futuros do petróleo foram negociados dentro de uma ampla faixa nesta sexta-feira na Nymex, como o contrato para junho recuando para o patamar de US$ 95,99 o barril, antes de reverte a direção durante a sessão. O vencimento do contrato geralmente provoca volatilidade nas sessões, à medida que os participantes do mercado procuram encerrar posições ou reposicionar suas carteiras.

Além da volatilidade do mercado, houve também a incerteza sobre a direção geral que petróleo tomará após a queda acentuada ao longo das últimas semanas. A commodity caiu acentuadamente na Nymex desde que atingiu uma máxima próxima de US$ 115 por barril no dia 2 de maio, após uma série de dados divulgados recentemente sugerir que a recuperação econômica nos EUA - maior consumidor mundial de petróleo - permanece incerta. O contrato do petróleo na Nymex caiu quase 13% até agora em maio.

Ainda assim, muitos participantes do mercado acreditam que os preços do petróleo manterão sua trajetória de alta no longo prazo, à medida que EUA entrarem na temporada de viagens de verão - um período de pico de demanda - e as necessidades de combustível em mercados emergentes, como a China, aumentarem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleodemadabarrilNymex

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.