Petróleo sobe a US$ 99,59 com previsões sobre preço

Preços dos contratos futuros do petróleo se recuperaram um pouco de suas recentes perdas, ajudados pelo declínio do dólar

Clarissa Mangueira, da Agência Estado ,

24 de maio de 2011 | 17h35

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em alta, à medida que a queda do dólar e as previsões otimistas para os preços de inúmeros bancos aumentaram o interesse pelos investimentos em commodities.

O contrato do petróleo para entrega em julho subiu US$ 1,89, ou 1,93%, para US$ 99,59 na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), após alcançar a máxima de US$ 100,09 o barril durante a sessão. O contrato do petróleo Brent na Intercontinental Exchange (ICE) para julho teve alta de US$ 2,43, ou 2,21%, para US$ 112,53 o barril.

Os preços dos contratos futuros do petróleo se recuperaram um pouco de suas recentes perdas, ajudados pelo declínio do dólar. O enfraquecimento do dólar torna as commodities denominadas na moeda norte-americana mais baratas para investidores com outras divisas.

Analistas de petróleo do banco Goldman Sachs elevaram nesta terça-feira suas previsões para os preços do Brent, afirmando que o crescimento econômico mundial continuará a pressionar a capacidade de reservas entre os maiores produtores mundiais de petróleo.

A perda de produção na Líbia devido à guerra civil levará a oferta de petróleo para níveis significantemente baixos no início de 2012, disseram os analistas do Goldman Sachs. O banco elevou sua perspectiva trimestral para o petróleo Brent para US$ 115 o barril, a semestral, para US$ 120 o barril, e a de 12 meses, para US$ 130 o barril.

"Apesar de o ambiente de crescimento ser claramente mais lento que o observado antes do início dos protestos e os riscos de queda permanecerem no curto prazo, esperamos que os preços do petróleo subam substancialmente ao longo dos próximos 18 meses", escreveram os analistas em relatório para clientes.

As projeções dos analistas do Goldman Sachs são amplamente observadas no mundo do petróleo, e os corretores seguem frequentemente as recomendações do banco. Os analistas disseram que a queda recente dos preços oferece uma "boa oportunidade" para que os consumidores do petróleo comecem a fazer um hedge de sua exposição futura.

O Morgan Stanley, outra voz proeminente no mercado, também elevou na noite de segunda-feira sua previsão para o preço do Brent para US$ 120 o barril neste ano e US$ 130 em 2012, ante as previsões anteriores US$ 110 e US$ 105 o barril, respectivamente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilpreçoNymexprevisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.