Petróleo sobe após declarações confusas da Opep

Os contratos futuros de petróleo subiram levemente em Nova York, depois de recuperarem as perdas iniciais em meio a informes sobre as intenções da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de cortar a produção para dar impulso aos preços, segundo analistas. Os preços do futuros de petróleo registraram um ganho de 1,04% nesta semana, a primeira variação positiva após cinco semanas de perdas, numa recuperação técnica que começou depois que a commodity falhou em cair abaixo de US$ 60,00 o barril na quarta-feira. Contudo, no mês, o barril de petróleo caiu mais de 10% e acumulou uma perda de quase 15% no trimestre. A confusão sobre as intenções da Opep começou ontem, depois da imprensa ter informado que a Nigéria reduziria a produção como parte de um acordo do cartel. Depois dos ganhos iniciais, os preços recuaram quando executivos da Opep e de outros países membros disseram que não tinham conhecimento de nenhum acordo. Aumentando as declarações conflitantes, a Venezuela disse à Opep que tem planos de cortar a produção em 50 mil barris/dia a partir de 1º de outubro, de acordo com um porta-voz do grupo em Viena, sem citar os motivos da medida. No entanto, mais tarde, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que um preço do petróleo entre US$ 50,00 e US$ 60,00 o barril era "adequado" para os membros do cartel. Contudo, apesar dos comentários da Venezuela e da Nigéria, no final, o que vai determinar a direção do mercado será a posição da Arábia Saudita, segundo o vice-presidente da corretora Man Financial em Nova York, Andy Lebow. Os preços do petróleo vão ganhar impulso se os sauditas começarem a falar sobre corte de produção, acrescentou. Na Nymex, os contratos de petróleo para novembro fecharam a US$ 62,91 o barril, em alta de US$ 0,15, ou 0,24%. A mínima foi de US$ 61,45 e a máxima de US$ 63,10. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para novembro caíram US$ 0,06, ou 0,10%, e fecharam a US$ 62,48 o barril. A mínima foi de US$ 61,01 e a máxima de US$ 62,66. VARIAÇÃO DE PREÇOS DO BARRIL DE PETRÓLEO no mês no trimestre no ano WTI/Nymex* -10,92% -14,91% +3,06% Brent/ICE* -11,06% -15,01% +5,93% * contrato futuro, primeiro mês de vencimento. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 17h48

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.