Petróleo sobe com aumento de projeções de bancos para o preço

Goldman Sachs e Morgan Stanley argumentam que a ausência da matéria-prima da Líbia e a queda na produção de países fora da Opep reduzirão os estoques

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

24 de maio de 2011 | 09h44

O petróleo sobe refletindo a elevação na projeção de preço para a commodity feita pelo banco Goldman Sachs e pelo Morgan Stanley nesta terça-feira. Ambos argumentam que a ausência do petróleo líbio e a queda na produção de países fora da Opep reduzirão os estoques e a capacidade ociosa de produção da Opep.

Mas, ao mesmo tempo em que o WTI poderá testar US$ 100,00 o barril e o brent o patamar de US$ 122,00 a US$ 113,00 o barril, as preocupações com os problemas da dívida soberana na Europa devem manter os preços limitados por enquanto, disseram analistas.

Às 9h49 (de Brasília), o contrato do petróleo WTI negociado na Nymex subia 1,53% para US$ 99,19 o barril; o contrato do brent, negociado na plataforma ICE, avançava 1,71% para US$ 112,03 o barril.

O Morgan Stanley elevou sua projeção do petróleo brent para US$ 120,00 o barril em 2011, e para US$ 130,00 o barril em 2012. Anteriormente, o banco havia calculado que o brent chegaria a US$ 100,00 o barril em 2011 e a US$ 105,00 o barril em 2012. Além da ausência da produção da Líbia, o banco cita o aumento da demanda de mercados emergentes como fator de alta para os preços. Sem um aumento da produção da Opep, os estoques irão cair no terceiro trimestre e no quarto trimestre, acrescentou a instituição.

Outras instituições, entretanto, preveem queda nos preços. O analista de petróleo do Credit Agricole, Christophe Barret, disse que o petróleo WTI "acima de US$ 110,00 o barril não é sustentável e que esse nível irá reduzir a demanda". O Credit Agricole prevê o brent cedendo para US$ 85,00 o barril no segundo semestre do ano. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.