Petróleo sobe com espera de estímulo monetário nos Estados Unidos

Às 8h30 (horário de Brasília), o contrato do petróleo Brent para outubro subia 0,95%, para US$ 116,00 o barril, na ICE

Clarisse Mangueira, da Agência Estado,

23 de agosto de 2012 | 08h42

Os contratos futuros do petróleo operam em alta, recebendo suporte das esperanças sobre novas medidas de estímulo econômico nos Estados Unidos, apesar dos números fracos da atividade manufatureira da China e da zona do euro.

Às 8h30 (horário de Brasília), o contrato do petróleo Brent para outubro subia 0,95%, para US$ 116,00 o barril, na plataforma ICE, em Londres. O contrato do petróleo WTI tinha alta de 0,47%, para US$ 97,69 por barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

"O mundo está respondendo, talvez um pouco agressivamente em nossa opinião...à ata da reunião do Fomc", disse Dennis Gartman, da consultoria Gartman Letter, se referindo ao Comitê Federal do Mercado Aberto do Federal Reserve (Fed).

A ata mostrou que uma nova rodada de estímulo nos EUA, o maior consumidor de petróleo do mundo, pode ser adotada "muito em breve" a menos que a economia melhore consideravelmente, destacou a corretora PVM em uma nota separada. Qualquer impulso para a economia irá provavelmente aumentar a demanda por petróleo.

Relatórios econômicos divulgados mais cedo mostraram números fracos da economia da China e da zona do euro. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar da China, medido pelo HSBC, caiu para 47,8 em agosto - o menor patamar em nove meses - em comparação com a leitura final de 49,3 em julho. A China é o segundo maior consumidor de petróleo do mundo.

Na zona do euro, a leitura preliminar do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto, medido pela Markit Economics, mostrou uma ligeira alta para 46,6 em agosto em comparação com a leitura final de 46,5 em julho.

Agora, os participantes do mercado aguardam uma reunião entre a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, François Hollande, que está prevista para esta quinta-feira à tarde (horário de Brasília), antes de conversações amanhã com o primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, sobre os termos do pacote de socorro grego. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoEUAestímulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.