Petróleo sobe com estoque menor de óleo para calefação

Os contratos futuros de petróleo subiram para o nível mais alto em três semanas na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), após a divulgação dos dados dos estoques norte-americanos na semana passada. Imediatamente depois da divulgação do informe, os contratos para março recuaram para abaixo de US$ 56 por barril. Minutos depois, porém, o mercado reverteu a direção e os contratos para março alcançaram a máxima no dia, de US$ 57,50. "Embora os estoques de gasolina tenham crescido, as pessoas ainda estão focalizando a queda dos estoques de destilados. Elas estão olhando para a próxima semana, quando é provável que ocorra uma redução ainda maior nos estoques. Os fundos haviam vendido contratos de petróleo no começo de janeiro, pensando que o inverno nunca viria, e agora estamos começando a ver uma mudança na psicologia do mercado", comentou o analista Phil Flynn, da Alaron Trading, referindo-se às previsões de que as temperaturas continuarão baixas na região Nordeste dos EUA, maior consumidora de óleo combustível para calefação. Às 14h30 (de Brasília), os contratos de petróleo bruto para março estavam cotados a US$ 57,45 por barril, em alta de US$ 0,48, ou 0,84%. As informações são da Dow Jones. O Departamento de Energia dos EUA (DoE) informou hoje que os estoques de destilados, que incluem diesel e óleo combustível para calefação, tiveram uma redução de 2,6 milhões de barris, para 138,3 milhões de barris. Os analistas previam uma redução de 2,1 milhões de barris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.