Petróleo sobe com Londres e NY emparelhando patamar de contratos

 Os futuros de petróleo operam em alta, com os dois principais contratos de referência praticamente no mesmo patamar. A arbitragem, também chamada de spread (prêmio) entre o brent e o contrato da Nymex, ficou em US$ 0,20 por barril na sexta-feira. Esse ritmo, porém, não deve ser mantido por causa dos altos custos de transporte, que continuarão limitando o avanço do contrato da Nymex, afirmaram analistas da PVM. "A impressionante redução do prêmio entre o brent e o WTI, de US$ 2,38 para US$ 0,20 por barril na semana passada, parece um caso clássico de vendidos jogando a toalha", comentaram os analistas, sugerindo que os gerentes de fundos estão desistindo das apostas em uma queda dos preços.

22 de julho de 2013 | 10h05

Mais tarde devem ser divulgados dados sobre o número de posições compradas e vendidas que os investidores especuladores assumiram na semana passada em contratos futuros do brent. No entanto, com tanto acontecendo nos negócios com o petróleo da Nymex, analistas do Commerzbank preveem que "os gerentes de fundos provavelmente vão mostrar menos interesse no brent no momento".

O Commerzbank observou que os contratos atuais do brent têm vencimento em setembro, enquanto na Nymex ainda estão sendo negociados contratos para agosto, que vencem hoje. "Quando os contratos para agosto expirarem, após o fechamento do mercado, os dois contratos futuros poderão ser comparados mais adequadamente", afirmaram os analistas do banco.

Analistas do Morgan Stanley lembraram que novas tensões em países produtores podem provocar mais aumentos nos preços. "O Sudão do Sul interrompeu a produção novamente por causa de novas divergências como Sudão; novos protestos no porto de Zueitina, no leste da Líbia, mais uma vez limitaram o volume de exportação do país; e o Iraque continua se esforçando para reativar o oleoduto Kirkuk-Ceyhan", destacaram.

Às 7h41 (de Brasília), o brent para setembro subia 0,36% na ICE, para US$ 108,46 por barril, enquanto o contrato para agosto negociado na Nymex, que expira hoje, avançava 0,53%, para US$ 108,62 por barril. O contrato para setembro, que já é o mais negociado na Nymex, tinha alta de 0,58%, para US$ 108,50 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.