Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Petróleo sobe com receio em relação a Turquia e Síria

Investidores temem que tensão nos dois países afete produção no Oriente Médio

19 de junho de 2013 | 08h08

O petróleo opera em alta, com o contrato para julho negociado na Nymex nas máximas em nove meses, estendendo os ganhos provocados pela preocupação dos investidores com os problemas na Turquia e na Síria, que podem afetar outras partes do Oriente Médio, que é uma região rica em petróleo.

Na Turquia a polícia antiterrorismo realizou buscas nas maiores cidades do país nesta semana e deteve manifestantes que acusam o governo de estar se tornando cada vez mais autoritário. Protestos têm abalado o país nas últimas três semanas.

Analistas da GFT Markets afirmaram em relatório a clientes que se o brent conseguir romper a barreira de US$ 106,50 por barril poderá haver mais altas nos próximos dias. Mas os operadores estão cautelosos antes da decisão sobre juros do Federal Reserve e da entrevista à imprensa do presidente da instituição, Ben Bernanke, ambos nesta quarta-feira, 19.

A diferença entre o preço do brent e o do contrato negociado na Nymex diminuiu para US$ 7,36 por barril, perto do valor mínimo atingido em janeiro de 2011. Analistas do Commerzbank disseram que um fator que contribui para isso é a queda de 4,28 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA na semana até 14 de junho, divulgada na terça-feira, 17, pelo American Petroleum Institute (API).

Às 7h50 (de Brasília), o brent para agosto subia 0,30% na ICE, para US$ 106,34 por barril, e o contrato para julho negociado na Nymex avançava 0,34%, para US$ 98,77 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoTurquiaSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.