Petróleo sobe com recuperação da gasolina

Os contratos do petróleo registram alta modesta no preço, após recuaram para a nova cotação mínima de quatro semanas durante a negociação desta noite. A mudança na trajetória espelhou a alta dos contratos da gasolina RBOB, que despencaram ontem 2,6% com a redução nos temores sobre a oferta e contagiou o petróleo. "Nós tivemos uma boa queda de 6% a 7% nesta semana e agora nós estamos saindo do suporte" de US$ 57 por barril, disse o analista da TFS Energy, Addison Armstrong. "Eu acho que nós vamos consolidar para os próximos dias.". A volatilidade das duas últimas sessões segue o acordo anunciado ontem pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de não alterar a quantidade produzida diariamente. Apesar de a decisão ter sido esperada, analistas não encontraram um consenso sobre como a decisão afeta os preços no longo prazo. "O mercado praticamente não deu atenção ao anúncio da Opep, uma vez que o definidor real do complexo foi o preço da gasolina", disseram analistas da TFS. Armstrong ainda ressaltou a questão nuclear no Irã e a crescente instabilidade na Nigéria como fatores que podem manter os preços em leve alta antes do fim de semana. Às 11h25 (de Brasília), o contrato do WTI para abril negociado na Bolsa Mercantil de Nova York subia US$ 0,42, ou 0,73%, para US$ 57,97 por barril. Na ICE, o contrato do Brent para maio avançava US$ 0,27, ou 0,44%, para US$ 60,95 por barril. O gasolina RBOB subia 1,88%, para US$ 1,9170 por galão. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.