Petróleo sobe com redução dos estoques de gasolina

Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve alta na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Intercontinental Exchange (ICE, de Londres). Operadores disseram que o informe do Departamento de Energia (DoE) indicando que as refinarias norte-americanas estão acelerando a produção de gasolina, contrabalançou a queda nos estoques do produto, maior do que se previa. Os contratos de gasolina operaram em baixa durante a maior parte do dia, mas subiram no fim da sessão. Segundo o DoE, a taxa de utilização da capacidade das refinarias norte-americanas subiu para 90,4% na semana passada, de 88,4% na semana anterior; analistas previam uma elevação de apenas 0,4 ponto porcentual. Os estoques de gasolina, porém, sofreram uma redução de 2,7 milhões de barris na semana passada, quando a estimativa era redução de 1,45 milhão de barris. Isso e o anúncio de que a refinaria da Citgo em Corpus Christi (Texas) interromperá a produção para serviços de manutenção foram os fatores que levaram à alta dos futuros da gasolina à tarde. "O mercado reagiu a uma redução inédita dos estoques de gasolina, de 30 milhões de barris em 10 semanas. Quaisquer notícias sobre manutenção ou fechamentos inesperados de refinarias ajuda a magnificar essa questão", comentou o analista e operador Phil Flynn, da Alaron Trading. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para maio fecharam em alta de US$ 0,03 (0,05%), a US$ 63,13 por barril; a mínima foi em US$ 62,41 e a máxima em US$ 63,41 por barril. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para junho terminaram a US$ 66,04 por barril, com ganho de US$ 0,11 (0,17%), com mínima em US$ 64,76 e máxima em US$ 66,33. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.