Petróleo sobe com tempestade no Caribe

Os contratos futuros de petróleo são negociados em alta esta manhã, com o mercado acompanhando a possibilidade de formação de uma tempestade tropical no leste do Caribe que pode atingir o oeste do Golfo do México em breve. A região concentra um grande número de refinarias. O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) informou que a depressão tropical no Caribe está perto de se transformar em uma tempestade tropical, prevendo um certo fortalecimento dentro de 24 horas. "A possibilidade de uma tempestade se dirigir para a região rica em refinarias pode provocar uma disparada no petróleo e reverter a tendência dos preços para cima", comentou um operador. Enquanto a preocupação com a tempestade moldava os negócios desta sexta-feira, além da onda de compras preventivas para o fim de semana, o embate em torno do programa nuclear do Irã segue dando suporte subjacente para os preços. O jornal britânico The Guardian informou que o governo de Teerã exigiu que os EUA suspendam as sanções ao país e dêem garantias de que não haverá nenhuma política de mudança de regime para encerrar sua disputa nuclear com o Ocidente. O Conselho de Segurança da ONU estabeleceu o dia 31 de agosto como deadline para que o Irã responda ao pacote de incentivos oferecido pelo Ocidente para persuadir o país a suspender seu programa de enriquecimento de urânio, ameaçando impor sanções econômicas e diplomáticas caso o governo de Teerã não colabore. No Japão, a polícia prendeu executivos da Mitutoyo, em razão da suspeita de que a empresa teria vendido a uma companhia ligada ao Irã equipamento de medição que pode ser usado na fabricação de armas nucleares. Hoje, o Ministério das Relações Exteriores da Itália informou que um italiano e dois outros trabalhadores estrangeiros desapareceram em Port Harcourt, centro petrolífero da Nigéria. Segundo a Dow Jones, não estava claro se o caso tinha relação com as notícias do governo nigeriano de seqüestro de dois estrangeiros. Os três desaparecidos trabalhavam para a Eni. A notícia também estaria dando suporte a compras de petróleo. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex eletrônica), às 9h30, o contrato futuro do petróleo para outubro subia 1,44%, para US$ 73,40 por barril. Na ICE Futures Exchange, em Londres, o Brent para outubro avançava 1,50%, para US$ 73,77 por barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.