Petróleo sobe; Irã ofusca encontro da Opep

Os contratos futuros de petróleo são negociados em alta esta manhã, transcendendo o encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que ocorre hoje em Viena, para se focarem nos níveis dos estoques do produto e derivados nos EUA e nas tensões geopolíticas em torno do Irã, segundo um operador. Os estoques norte-americanos estão em níveis preocupantes, considerando o declínio do petróleo bruto na comparação anual, enquanto os estoques da gasolina deveriam estar crescendo nesta época do ano para se atingir um patamar adequado para o pico do movimento nas estradas norte-americanas, durante o verão. Ontem, o Departamento de Energia (DoE) dos EUA informou que o nível dos estoques de petróleo bruto subiu 1,1 milhão de barris, para um total de 325,3 milhões de barris, na semana até 9 de março, abaixo da alta esperada de 1,4 milhão de barris. Os estoques de gasolina caíram 2,5 milhões de barris, acima do declínio esperado de 2,1 milhões de barris na semana. Os estoques de derivados recuaram 2,8 milhões de barris, ante previsão de queda de 1,9 milhão barris. Paralelamente, embaixadores dos EUA, China, Rússia, Reino Unido, França e Alemanha fecharam ontem um acordo, em princípios, sobre um novo pacote de sanções contra o Irã e espera-se que seja introduzida uma resolução ao Conselho de Segurança da ONU nesta quinta-feira, se os respectivos governos derem o sinal verde. A aprovação do acordo preliminar pelos governos dos seis países será um primeiro passo importante para uma resolução. O pacote ainda precisa ser considerado pelos 10 membros não permanentes do Conselho de Segurança da ONU, que não têm participado daquelas negociações. Contudo, um acordo entre os membros permanentes com direito a veto do Conselho de Segurança e a Alemanha seria um forte sinal aos demais membros não permanentes: que as principais nações do órgão mais poderoso da ONU estão unidas e querem enviar uma mensagem unificada ao Irã para que suspenda o programa de enriquecimento de urânio. Quanto à Opep, os ministros do Petróleo da Opep estão reunidos em Viena e espera-se que o grupo opte por manter as atuais cotas de produção, para que possam observar o impacto dos dois cortes de produção do ano passado sobre os estoques mundiais de petróleo. Os ministros têm indicado que preferem ampliar o compromisso com o cumprimento dos cortes decididos no ano passado. Às 8h06, o contrato do petróleo WTI para abril subia 0,60%, para US$ 58,51 por barril, no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). O petróleo Brent de mesmo vencimento era negociado em alta de 1,02%, a US$ 61,68 por barril, na ICE Futures Exchange, em Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.