Petróleo sustenta alta e fecha acima de US$ 55 por barril

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta, acima de US$ 55,00 por barril em Londres e Nova York, com as baixas temperaturas ao longo da Costa Leste dos EUA elevando as perspectivas de aumento de consumo de óleo para aquecimento, segundo analistas. Os meteorologistas estão prevendo que as temperaturas abaixo do normal na região nordeste dos EUA vão continuar até pelo menos a primeira semana de fevereiro, depois de uma pausa neste final de semana. "As previsões meteorológicas iniciaram a bola de neve", disse o analista Phil Flynn, da Alaron Trading Corp em Chicago. Apesar do inverno ter começado bastante tarde, sabe-se que esses tipos de padrão de tempo à vezes duram até março e toda a oferta extra que foi acumulada poderá ser gasta no futuro próximo, acrescentou o analista. "Parte do movimento de alta foi psicológico, com o tempo mais frio, e tivemos o informe do Lloyds MIU de que os cortes da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) são bastante significativos", disse Edward Meir, do Man Financial em Nova York. O Lloyds MIU, que acompanha o tráfego de petroleiros, informou que as exportações de petróleo da Opep caíram para abaixo de 23 milhões de barris/dia em dezembro, de abaixo de 24 milhões de barris/dia em novembro. No pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para março fecharam a US$ 55,42 por barril, alta de US$ 1,19, ou 2,19%; a mínima foi de US$ 54,20 e a máxima de US$ 55,52. Em Londres, na ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março subiram US$ 1,17, ou 2,16%, e fecharam a US$ 55,29 por barril; a mínima foi de US$ 54,16 e a máxima de US$ 55,37. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.