Petróleo tem máxima em 3 semanas por dados nos EUA

Os contratos futuros do petróleo fecharam no maior nível em três semanas em Nova York nesta quinta-feira, 13, ajudados pelos dados melhores que o esperado das vendas no varejo e dos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. O contrato do petróleo Brent, negociado em Londres, também encerrou em território positivo.

Agencia Estado

13 de junho de 2013 | 16h56

O contrato do petróleo para julho subiu 0,8%, ou US$ 0,81, para US$ 96,69 o barril, o maior valor de fechamento desde 20 de maio, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para julho, que venceu neste pregão, subiu US$ 0,76 (0,73%), finalizando a US$ 104,25 o barril. O contrato do Brent para agosto, o mais negociado, avançou US$ 1,39 (1,34%), encerrando a US$ 104,95 o barril.

O número de trabalhadores norte-americanos que entrou pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 12 mil, para 334 mil, menos que a previsão de 350 mil solicitações. As vendas no varejo dos EUA subiram mais que o esperado em maio, crescendo 0,6% ante abril, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 421,15 bilhões. Os Economistas consultados pela Dow Jones previam aumento de 0,4%.

Notícias divulgadas pela manhã sobre um fechamento de oleoduto no Canadá também pode ter fornecido algum suporte aos preços, segundo analistas. O oleoduto na British Columbia foi fechado após vazar uma quantidade não determinada de petróleo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.