Petróleo termina em alta com preocupações sobre oferta

Os futuros de petróleo subiram mais de US$ 2,00 o barril e fecharam perto de US$ 73,00 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex), impulsionado por uma onda de compras desencadeada por preocupações relacionadas à oferta no mercado doméstico e internacional, segundo analistas. O movimento de alta dos futuros de petróleo começou pela manhã em reação às notícias de seqüestro de oito petroleiros estrangeiros na Nigéria e contínua posição de desafio do Irã aos chamados internacionais para suspender seu programa de enriquecimento nuclear. Uma forte alta dos futuros de gasolina, desencadeada por uma série de notícias de refinarias com problemas justamente no início da demanda de alta temporada de verão, contaminou o restante do complexo de petróleo. "A grande preocupação no mercado é que os eventos internacionais e os problemas das refinarias aqui nos EUA vão cortar a oferta e pressionar os preços para cima por aqui", disse Peter Beutel, presidente da Cameron Hanover, empresa de consultoria de New Canaan (Connecticut). Em meio a forte tensão internacional e problemas em países produtores, operadores nervosos decidiram recomprar posições recentemente vendidas antes do final da semana, ignorando o crescimento dos estoques comerciais norte-americanos e da taxa de ocupação das refinarias na semana passada. "Apesar de algum ganho substancial na produção das refinarias e nas importações aqui nos EUA, e um cenário saudável de estoques de petróleo, os operadores ainda estão com o foco sobre eventos que em alguns casos estão e, em outros casos, não estão especificamente relacionados com petróleo", disse Beutel. Os contratos de gasolina para julho fecharam a US$ 2,1975 o galão, alta de 703 pontos (3,30%) na Nymex e esse ganho foi em grande parte responsável pelo aumento dos preços dos futuros de petróleo, segundo operadores. "Foi a alta da gasolina mais do que qualquer outra coisa que deu impulso para o petróleo subir", disse um operador. "Com todas aquelas interrupções, a última coisa que precisamos é outra refinaria parada", acrescentou. O forte fechamento levou alguns analistas a preverem que os preços do petróleo bruto estão agora posicionados para subir para US$ 75,00 o barril, um importante nível psicológico que não é alcançado desde abril. "Baseado no fechamento da semana, parece provável que US$ 75,00 esteja nas cartas", disse Tom Bentz, analista do BNP Paribas Futures em Nova York. Na Nymex, os contratos de petróleo para julho fecharam a US$ 72,33 o barril, alta de US$ 1,99 (2,83%). A mínima foi de US$ 71,15 e a máxima de US$ 72,70. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para julho fecharam a US$ 71,03 o barril, alta de US$ 1,64 (2,36%). A mínima foi de US$ 69,53 e a máxima de US$ 71,60. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.