Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Petróleo termina em queda após dados ruins da China

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em queda nesta segunda-feir, 10, em dia de agenda vazia de indicadores dos Estados Unidos. Dados econômicos da China, porém, pesaram sobre a commodity.

Agencia Estado

10 de junho de 2013 | 16h45

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para julho, perdeu US$ 0,26 (0,27%) e encerrou a US$ 95,77 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para julho caiu US$ 0,61 (0,58%), finalizando a US$ 103,95.

Dados preliminares sobre importação de petróleo da China mostraram queda de 6,0% na demanda chinesa em maio, na comparação anual, e indicaram que as exportações totais do país cresceram no ritmo mais lento em quase um ano, em meio à fraca demanda da Europa e dos EUA.

Um leve suporte para os preços do petróleo foi fornecido pela paralisação do campo Buzzard, no Mar do Norte, mas isso acabou sendo apenas temporário. Notícias de aumento nas tensões entre o Sudão e o Sudão do Sul podem fornecer alguma sustentação, mas analistas acreditam que os 350 mil barris de produção diária de petróleo dos dois países - que está paralisada desde o fim de 2011 - voltarão ao mercado em breve.

Nesta semana, as três maiores agências de petróleo do mundo vão publicar suas avaliações mensais sobre o mercado de petróleo: o Departamento de Energia dos EUA (DoE) e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na terça-feira, 11; enquanto a Agência Internacional de Energia (AIE) na quarta, 12. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.