Petróleo testa US$ 59 sem a concretização do corte da Opep

Os contratos futuros de petróleo voltam a testar o nível de US$ 59 por barril, com as vendas associadas a sinais de que o aventado corte de produção pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) encontra dificuldades para se materializar. Pela manhã, o presidente do cartel, Edmund Daukoru, afirmou que os países membros da Opep continuam negociando a necessidade de uma reunião de emergência para discutir um corte na produção para fortalecer os preços do petróleo. "A convocação ainda não ocorreu, ainda estamos nos consultando", disse Daukoru, à agência Dow Jones. Ontem circularam informações, não confirmadas oficialmente, de que uma reunião extraordinária teria sido marcada para 18 e 19 de outubro. Mas sem nada efetivo, os investidores seguiam mais agressivos na venda hoje. Às 13h15, o contrato futuro do petróleo para novembro cedia 1,22%, para US$ 59,30 por barril, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). O contrato do petróleo Brent para o mesmo vencimento recuava 1,18%, para US$ 59,29 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.