Petróleo vai a US$ 70 com perda de produção na Nigéria

Os contratos futuros de petróleo são negociados em alta acentuada, com as compras sendo impulsionadas por informações de que uma autoridade do governo da Nigéria elevou a estimativa para o total de barris de petróleo que não estão sendo produzidos no país. Segundo o diretor do Departamento de Recursos Petrolíferos da Nigéria, Tony Chukwueke, o país teve uma perda de produção de 800 mil barris por dia no Delta do Rio Níger, uma quantia 300 mil barris superior à previsão inicial. As declarações foram feitas em um evento do setor petrolífero em Lagos, na Nigéria. A autoridade disse que a suspensão da produção é uma perda enorme para a Nigéria, acrescentando que não sabia o que fazer em relação ao assunto. Até o momento, as cifras envolvendo a lacuna deixada pelos ataques dos rebeldes da região, que lutam pelo controle dos recursos petrolíferos, giravam em torno de 500 mil barris por dia. Outros fatores que davam suporte a compras de petróleo eram o seqüestro de uma autoridade iraquiana do setor de petróleo, um dia após o assassinato do líder do grupo terrorista Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, o que reacendeu a preocupação sobre a oferta. A notícia de que o Irã retomou as atividades nucleares no mesmo dia em que seis países do Ocidente apresentaram o pacote de incentivo elaborado para encorajar a interrupção do enriquecimento também sustentava compras. Às 12h25, o contrato futuro de petróleo com vencimento em julho subia 1,84%, para US$ 70,32 por barril, na Nymex (bolsa onde são negociados contratos de energia, em Nova York). As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

09 de junho de 2006 | 12h29

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.