Petróleo vai a US$ 71,88 com Irã desafiando ONU

Os contratos futuros de petróleo subiram em Londres e Nova York, diante das indicações de que a ONU e o Irã estão se movendo em direção a um confronto com relação ao programa de enriquecimento de urânio do governo iraniano, segundo analistas. Como se esperava, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse, num relatório enviado ao Conselho de Segurança da ONU, que o Irã está enriquecendo urânio e continua mantendo atividades relacionadas a esse processo, desafiando o Conselho. O embaixador dos EUA na ONU, John Bolton, disse que o relatório reforça as preocupações de que o Irã esteja trabalhando para obter capacidade de produzir armas nucleares, embora os líderes iranianos afirmem que seu objetivo é apenas o de construir usinas nucleares. Bolton disse que os EUA vão pressionar por uma resolução da ONU que exija a cooperação do governo de Teerã, ou o país terá de enfrentar sanções. Esforços diplomáticos continuarão a ser perseguidos, mas "certamente não por um período ilimitado de tempo", disse o embaixador norte-americano. Nesta sexta-feira, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse que nenhuma resolução da ONU poderá fazer o país abrir mão de seu programa nuclear. O Irã, segundo maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), tem dito que não irá interromper sua oferta de 2,5 milhões de barris/dia de petróleo em reação ao impasse sobre seu programa nuclear. Contudo, o mercado de petróleo permanece cauteloso por causa da falta de capacidade ociosa na produção mundial para cobrir a perda da oferta do Irã. Além disso, o governo iraniano pode, teoricamente, interromper os embarques de petróleo de outros países através do estreito de Hormuz, por onde passam cerca de 20% da oferta global de petróleo. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos de petróleo para junho fecharam a US$ 71,88 o barril, alta de US$ 0,91 (1,28%). A mínima foi de US$ 71,00 e a máxima de US$ 72,65. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para junho fecharam a US$ 72,02 o barril, alta de US$ 1,11. A mínima foi de US$ 70,45 e a máxima de US$ 72,65. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

28 Abril 2006 | 18h10

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.