Petróleo vira e cai mas de 1% em Londres e NY

Os contratos futuros de petróleo devolveram os ganhos iniciais e registram quedas de mais de 1% em Londres e Nova York, com o retorno da pressão de vendas que levou os preços a caírem quase US$ 5,00 o barril na semana passada, levando operadores a ignorarem a série de notícias que normalmente dariam suporte aos preços, segundo analistas. Os preços dos futuros de petróleo oscilam abaixo do valor do fechamento da quinta-feira passada, de US$ 55,59 por barril, que foi a cotação mais baixa desde junho de 2005. Inicialmente, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os futuros de petróleo chegaram a subir até US$ 57,72 por barril, em meio a previsões de temperaturas mais frias na região nordeste dos Estados Unidos, notícias de que a Bielo-Rússia suspendeu o fluxo de petróleo russo por meio de seu território e rumores de corte adicional da produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). "Fizemos todo o caminho de volta, o que foi um pouco surpreendente, parecia que haviam muitas notícias bullish (de alta)", disse o vice-presidente da Vantage Trading em Nova York, Peter Donovan. "Parece que não fomos capazes de sacudir o sentimento bearish (de baixa) da semana passada", acrescentou. Às 15h16 (de Brasília), no pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para fevereiro caíam 1,20%, a US$ 54,97 por barril. No mesmo horário em Londres, na ICE Futures, os contratos de petróleo tipo Brent para fevereiro caíam 1,26%, a US$ 54,93 por barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.