Petróleo vira e fecha em alta com cobertura de vendas

Os futuros de petróleo reverteram as perdas do dia e fecharam com um ganho modesto em Londres e Nova York, com os operadores recomprando posições vendidas mais cedo, segundo analistas. Os futuros de petróleo passaram a maior parte do dia em território negativo, com o contrato para dezembro registrando a mínima do dia de US$ 57,05 o barril, pouco acima do importante suporte técnico ao redor de US$ 57,00. O movimento de baixa inicial ocorreu em conseqüência das previsões de aumento dos estoques comerciais de petróleo e expectativas de um outono com temperaturas moderadas nos EUA. A virada ocorreu no final da sessão em reação às notícias sobre um vazamento num gasoduto da Columbia Gulf Transmission Co, que obrigou a companhia a fechar várias plataformas de gás natural no Golfo do México até que o problema seja avaliado e consertado. "O vazamento no gasoduto ajudou, mas manter os US$ 57,00 foi fundamental", disse o analista Phil Flynn, da Alaron Trading Corp, em Chicago. "Os operadores queriam derrubar a importante área de suporte dos US$ 57,00 e, quando falharam, houve uma cobertura de vendas a descoberto", acrescentou. A recuperação nos preços "parece sugerir que antes de tirar o suporte, os operadores querem ver os números sobre os estoques", disse Flynn. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de petróleo para dezembro fecharam a US$ 58,73 o barril, em alta de US$ 0,37, ou 0,63%. A mínima foi de US$ 57,05 e a máxima de US$ 58,80. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para dezembro fecharam a US$ 59,03 o barril, em alta de US$ 0,35, ou 0,60%. A mínima foi de US$ 57,39 e a máxima de US$ 59,14. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2006 | 18h15

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.