Petróleo volta a cair e renova menor cotação desde 2009

Em NY, o petróleo tipo WTI fechou a US$ 47,93 por barril, em queda de 4,22%; já os contratos do petróleo Brent caíram a US$ 51,10 (-3,78%)

Agência Estado

06 de janeiro de 2015 | 09h49

Os preços do petróleo voltaram a cair, chegando ao fim do dia nos níveis mais baixos desde abril de 2009. O mercado está na expectativa de que a oferta global de petróleo continuará a crescer, num ambiente de desaceleração do crescimento da economia global.

"O petróleo é o que está conduzindo todos os mercados financeiros neste momento. Essencialmente, isso é o mercado percebendo que o crescimento global provavelmente está desacelerando", disse Jeffrey Sherman, gestor de carteira da DoubleLine Capital.

"O mercado está tentando encontrar o nível em que haverá uma resposta na ponta da oferta. Normalmente, a Opep é quem reage mais rapidamente, e ela não está lá no momento", observou a analista Amrita Sen, da Energy Aspects. Pela manhã, o príncipe-herdeiro Salman, da Arábia Saudita, leu na televisão estatal do país uma carta de seu pai, o rei Abdullah, de 90 anos, que está hospitalizado desde a semana passada devido a uma pneumonia. A carta diz que o país enfrentará a queda dos preços, que atribuiu à debilidade da economia global, "com vontade sólida".

No começo da semana, a Arábia Saudita anunciou uma redução no preço do petróleo que exporta para a Ásia, mas reduziu os preços para a Europa - aparentemente para não perder mercado para os produtores do Oeste da África.

"Ao longo de uma parte significativa dos últimos 15 anos, tivemos a Arábia Saudita e outros desempenhando o papel de controladores da oferta. Agora, eles decidiram não fazer isso. Há um excesso de oferta no curto prazo, e não seria surpreendente ver o preço cair a menos de US$ 40 por barril", disse Tim Guinness, da Guinness Atkinson Asset Management.

O mercado também operou na expectativa do informe do Departamento de Energia dos EUA (DoE) sobre o nível dos estoques norte-americanos na semana passada; analistas ouvidos pela Dow Jones preveem um crescimento de 300 mil barris nos estoques de petróleo bruto.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos de petróleo bruto para fevereiro fecharam a US$ 47,93 por barril, em queda de US$ 2,11 (4,22%). Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para fevereiro fecharam a US$ 51,10 por barril, em queda de US$ 2,11 (3,78%). Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Petroleo,brent,nymex,opep

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.