Petróleo volta a ser negociado acima de US$ 60 o barril

Os contratos futuros do petróleo voltaram a ser negociados acima dos US$ 60 por barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) hoje. Os operadores mantêm os preços acima das máximas das últimas cinco semanas em meio a temperaturas baixas no Nordeste dos EUA e relatórios indicando que a Opep vai continuar a implementar cortes na produção. A Nigéria, membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), teria pedido a companhias petrolíferas internacionais que reduzam a produção nos próximos dois meses, segundo uma fonte de uma empresa. Além disso, um relatório da Lloyds Marine Intelligence Unit mostrou que a Opep cortou as exportações em 200 mil barris por dia em janeiro. "A queda na produção está sugerindo aos operadores que talvez a Opep esteja finalmente começando a implementar os cortes", disse Addison Armstrong, analista da TFS Energy Futures, em Stamford, nos EUA. As temperaturas abaixo do normal no Nordeste dos EUA devem continuar até 22 de fevereiro, segundo o último relatório da National Oceanic and Atmospheric Administration, órgão dos EUA de pesquisas meteorológicas. A região é a maior consumidora de óleo de calefação nos EUA e as baixas temperaturas podem ser a maior razão para a recente alta dos preços do petróleo, que sobem após atingir a mínima de 20 meses de US$ 49,90 por barril em 18 de janeiro. Às 13 horas (de Brasília), na Nymex, o contrato do WTI para março subia 0,95%, para US$ 60,28 barril. Os preços chegaram a atingir US$ 60,42 por barril logo cedo, a máxima desde 3 de janeiro. Na ICE londrina, o contrato do Brent para março subia US$ 0,42 (0,71%), para US$ 59,45. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.