Petróleo volta a subir e supera US$ 76 o barril

Os contratos futuros de petróleo operam em alta nas negociações eletrônicas de Londres e Nova York esta manhã, reagindo à escalada da violência no Oriente Médio. O aumento das hostilidades entre Israel e o Líbano veio reforçar aos participantes desse mercado que o conflito está longe do fim. Aviões de guerra israelenses renovaram os ataques contra o país vizinho e um alto oficial do exército não descartou uma invasão por terra. "O mercado está muito sensível às notícias. É quase assustador o nível de volatilidade das negociações", disse um operador. Oriente Médio à parte, as preocupações com o fornecimento de petróleo da Nigéria e com o programa nuclear iraniano também estimulam a atuação dos que apostam na alta dos preços da commodity. Além disso, do ponto de vista técnico, o cenário é favorável a preços mais elevados no curto prazo. "Embora o fechamento tenha sido em baixa ontem, alguns suportes importantes da maioria dos contratos foram mantidos, o que deve dar uma base sólida para mais valorizações hoje", disse um estrategista técnico em Londres. Por volta das 8h45 (de Brasília), o contrato de petróleo bruto para agosto negociado na Bolsa Mercantil eletrônica de Nova York (Nymex) subia 1,14%, para US$ 76,16 o barril. Na ICE Futures, em Londres, o contrato do óleo Brent para setembro subia 1,20%, para US$ 76,83 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.