Pfizer anuncia corte de 10 mil vagas até o fim de 2008

A indústria farmacêutica Pfizer anunciou que vai cortar 10 mil postos de trabalho até o fim de 2008. O número equivale a 10% de sua força de trabalho mundial. O objetivo da empresa é cortar custos na tentativa de compensar a perda da exclusividade de seus remédios mais vendidos. A reestruturação da companhia vai custar até US$ 2 bilhões, segundo a Pfizer. A empresa informou também que vai continuar a consolidar as operações de produção mundiais, fechando as fábricas no Brooklyn (Nova York) e Omaha (Nebraska). Além disso, a Pfizer anunciou que vai vender uma fábrica em Feucht, na Alemanha, fechar unidades de pesquisa na França, no Japão e em Michigan e cortar suas equipes de vendas na Europa em mais de 20%. ?Evolução com incremento não é o suficiente, mudanças fundamentais são imperativas e devem começar agora?, disse o presidente da empresa, Jeffery B. Kindler, durante reunião com analistas. Prejudicada pela concorrência dos genéricos e na ausência de um medicamento extremamente bem-sucedido, a companhia reiterou que seus lucros deverão ficar em níveis ?comparáveis? ao de 2006 nos próximos dois anos, abaixo de uma projeção anterior, de crescimento modesto. Segundo a empresa, a retomada do crescimento deve se dar em 2009, com o lançamento de novos remédios. O anúncio foi feito após a Pfizer divulgar seu informe de resultados do quarto trimestre, no qual a empresa informou que seu lucro líquido cresceu fortemente com a venda da divisão de produtos de saúde para o consumidor para a Johnson & Johnson, por US$ 16,6 bilhões, em junho do ano passado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.