Pós-Copa, setor de eletroeletrônicos estabiliza em julho

O setor eletroeletrônico apresentou crescimento real de 9% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O mês de julho foi, contudo, de estabilidade, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).Na avaliação da associação, o setor havia registrado crescimento de 17,8% no primeiro trimestre deste ano, em relação a igual período do ano passado. No segundo trimestre, o crescimento ficou em 1,8%, em comparação com o segundo trimestre de 2005. Com base nestes dados, a Abinee projeta que o crescimento nominal do faturamento deste ano deverá ficar próximo de 14%.O levantamento realizado pela associação referente ao mês de julho indica que os negócios do setor estabilizaram-se "em um nível que mantém a utilização da capacidade produtiva das indústrias em patamares adequados", ou seja, não foram necessários novos investimentos, tendo em vista a estagnação da demanda interna.Segundo a Abinee, a valorização do real em relação ao dólar pode ser apontada com um dos fatores que prejudicaram o setor, pois "além de desestimular as exportações, facilitam as importações, aumentando a concorrência com os produtos de outros países, principalmente dos chineses".O final da Copa do Mundo também contribuiu negativamente, baixando as vendas de eletrônicos de consumo. A terceira causa apontada foi a paralisação dos auditores fiscais da Receita Federal, no 1º semestre deste ano, que criou dificuldades às exportações e importações de matérias-primas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.