Preocupação com Fed pressiona bolsas asiáticas

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em queda nesta quarta-feira, em meio à crescente expectativa para a reunião de política monetária do Federal Reserve, marcada para a próxima semana. As apostas são de que o banco central norte-americano dará indicações mais claras de quando pretende começar a elevar as taxas de juros. Relatório do Fed de São Francisco, divulgado nesta semana, gerou receios de que os juros nos EUA podem começar a subir antes do esperado.

SERGIO CALDAS, Estadão Conteúdo

10 de setembro de 2014 | 08h09

Na China continental, o índice Xangai Composto encerrou a sessão com baixa de 0,35%, a 2.318,31 pontos, após dados citados pelo primeiro-ministro Li Keqiang mostrarem que a base monetária do país cresceu em agosto no ritmo mais fraco em cinco meses, com alta anual de 12,8%. Em julho, o avanço da base monetária havia sido de 13,5% no confronto anual. Por outro lado, o Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, subiu 0,4%, a 1.285,18 pontos.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng também foi pressionado pelo comentário de Li e pela ansiedade antes da reunião do Fed, fechando com forte baixa de 1,93%, a 24.705,36 pontos. O Taiex, de Taiwan, recuou 0,8%, a 9.357,61 pontos, influenciado por realização de lucros em ações de alguns fornecedores da Apple, que ontem anunciou novos modelos do iPhone e um relógio inteligente.

O dia também foi de perdas em bolsas menores como a de Cingapura, com o índice FTSE Straits Times cedendo 0,13%, a 3.338,63 pontos, e das Filipinas, onde o índice PSEi caiu 0,6%, a 7.212,78 pontos.

Na Oceania, as preocupações com o Fed também pesaram na Bolsa de Sydney. O S&P/ASX 200, que reúne as ações mais negociadas no mercado australiano, recuou 0,6%, a 5.574,60 pontos, encerrando o pregão no nível mais baixo em quatro semanas. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.