Preocupação com nível de preços derruba bolsas de NY

O mercado norte-americano de ações opera com os principais índices perto das mínimas do dia. A queda é atribuída à maior preocupação dos investidores com a inflação, cuja aceleração poderá levar o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) a continuar a elevar as taxas de juro de curto prazo. Os preços do petróleo voltaram a subir, em reação à suspensão da produção em duas refinarias norte-americanas, para reparos, e ao noticiário sobre o seqüestro de dois funcionários da italiana Saipem na Nigéria (informou-se esta tarde que os dois foram libertados); os preços do ouro também subiram. Segundo Steven Sachs, diretor de operações da Rydex Investments, "os mercados de ações, especialmente, odeiam a incerteza e o Fed está deixando bastante claro que está incerto quanto a qual será sua próxima decisão". Jim Awad, da Awad Asset Management, disse que "refletindo mais, as pessoas sentem que o comunicado do Fed é mais 'duro' do que elas acreditavam que seria". Ele também observou que o fim da temporada de informes de resultados de empresas no primeiro trimestre deixou os investidores sem catalisadores que motivassem a continuidade do recente movimento de alta. Algumas das ações que mais haviam subido nos últimos dias estão entre as que mais estão caindo, entre elas General Motors (-3,8% por volta das 16h30). Às 16h30 (de Brasília), o Dow Jones caía 1,36%, o Nasdaq recuava 2,10% e o Standard & Poor's-500 perdia 1,45%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

11 de maio de 2006 | 16h38

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.