Pressão externa leva dólar a R$ 2,07 na abertura

O dólar abriu em alta de 0,38% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), negociado a R$ 2,07 no contrato de liquidação à vista (D+2, liquidação em dois dias úteis). O mercado financeiro global ainda não conseguiu readquirir confiança no desempenho da economia norte-americana e isso tem sido o pano de fundo do comportamento dos ativos. Por isso, hoje o item mais importante da agenda para os investidores é o depoimento do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, que às 10h30 fala ao Comitê Econômico Conjunto do Congresso dos EUA sobre a perspectiva para a economia do seu país. Além disso, os negócios internacionais são afetados pelo aumento das tensões entre Irã e Reino Unido. Desde sexta-feira da semana passada, o Irã mantém 15 marinheiros britânicos presos e, ontem, o primeiro-ministro Tony Blair elevou a pressão sobre o Irã. Esta manhã, Blair declarou que é o momento de se ampliar as pressões sobre o Irã para a libertação dos presos. Enquanto isso, embora o Pentágono americano tenha declarado ontem que ignorava qualquer confronto militar no Golfo Pérsico, os rumores de conflito na região circulam nas mesas de operações internacionais. E o petróleo sobe, afetando os mercados acionários, que operam no negativo tanto na Europa quanto nos EUA. Aqui não deve ser diferente e a perspectiva é de que o dólar seja negociado em alta esta manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.