Previ também quer vender parte de sua fatia no capital da Telemar

O presidente da Previ (fundo de pensão do Banco do Brasil), Sérgio Rosa, afirmou hoje que pretende vender parte de sua fatia na Telemar na operação de pulverização de capital da empresa, coordenada pelos controladores GP Investimentos, Grupo La Fonte e Andrade Gutierrez. Ele não informou qual o porcentual do total detido que estuda alienar. Limitou-se a dizer que não será integralmente. A Previ possui 52% da Fiago Participações, que, por sua vez, detém 19,9% da Telemar Participações. Cada um dos três controladores vendedores tem 10,2% da holding não listada em bolsa do grupo Telemar. Rosa considera, inclusive, entrar no prospecto da distribuição pública da operação, cuja minuta já está no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e que ainda não prevê a fundação como vendedora.De acordo com o presidente da Previ, também não está fechado se o total de ações da Telemar a ser vendido será ampliado pela sua adesão ou se haverá apenas uma realocação das parcelas alienadas entre os acionistas. De acordo com o prospecto da operação, serão oferecidas ao mercado entre 997,4 milhões e 1,662 bilhão de ações ordinárias daquela que será a Oi Participações. Rosa afirmou que as definições pendentes estão sendo discutidas com os demais acionistas vendedores. Apesar das pendências, o executivo acredita que estas decisões não atrasarão o processo de pulverização do capital da companhia. Ele contou que a Previ não foi chamada para a discussão inicial a respeito da reestruturação. Entretanto, disse não haver ressentimento em relação a isso. Segundo ele, o fato de a fundação estar afastada da gestão da companhia em razão de sua participação na Brasil Telecom acaba isolando-a naturalmente do processo decisório. Sobre o preço sugerido, ele também preferiu não se manifestar. Disse apenas: "quanto mais alto melhor, afinal somos vendedores".Além da fatia em Fiago, a Previ também participa da Lexpart, que detém 10,2% da Telemar Participações. Lexpart controla Argolis, cujos acionistas são Citigroup (39%), Zain Participações (início da cadeia societária de Brasil Telecom, com 16%) e Opportunity Fund (45%). Rosa confirmou que a venda da fatia de Lexpart pode eximir os fundos de pensão de terem que, eventualmente, no futuro comprarem a fatia do Citigroup na Telemar por R$ 305 milhões. Apesar disso, ele afirmou que o interesse de participar desta operação não está atrelado à liberação desta obrigação com o banco norte-americano e sim pela proposta de reorganização propriamente. Rosa participou hoje de coletiva de imprensa, durante o 4º Encontro de Conselheiros da Previ, que ocorre anualmente na Costa do Sauípe (BA).

Agencia Estado,

08 de junho de 2006 | 17h23

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.