Principais bolsas européias fecham a semana em alta

As principais bolsas de valores européias fecharam em alta, depois de os dados preliminares do PIB dos EUA no segundo trimestre reduzirem a expectativa de que o Federal Reserve (banco central americano) volte a elevar as taxas de juro. Estrategistas do UBS, porém, alertaram que a incerteza quanto às perspectivas macroeconômicas, especialmente nos EUA, provavelmente vão continuar a causar turbulências periódicas nos mercados, mas que elas deverão ser apenas momentâneas. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 45,4 pontos (0,77%), a 5.974,9 pontos. A alta foi liderada pelas ações da mineradora Xstrata, que subiram 7,47%, depois de a Inco Ltd. anunciar que desistiu de tentar comprar a canadense Falconbridge, devido à falta de apoio dos acionistas. As ações da seguradora Prudential caíram 3,02%, depois de sua subsidiária no setor de serviços financeiros via internet, a Egg, divulgar resultados. Também no setor financeiro, as ações da Alliance & Leicester subiram 1,82%, em reação a seu informe de resultados. Na semana, o FT-100 acumulou uma alta de 4,46%. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 27,30 pontos (0,55%), a 5.028,51 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Michelin, que subiram 6,83% em reação a seu informe de resultados. Entre as ações de empresas que também divulgaram resultados estavam Schneider Electric (+1,40%), Air Liquide (+3,12%), Thales (+1,35%), Rhodia (+0,65%) e Lagardère (-1,80%). Na semana, o CAC acumulou uma alta de 4,36%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 46,35 pontos (0,82%), a 5.705,42 pontos. "O mercado teve um movimento forte de cobertura de posições no fim do pregão, depois da abertura positiva das Bolsas dos EUA", disse um operador. Ele ressalvou que os volumes foram relativamente reduzidos. Um analista técnico disse que "a abertura forte de hoje despertou um potencial para novas altas, possivelmente para 5.800 pontos na próxima semana". As ações da Linde subiram 0,42%, em reação a seu informe de resultados. As da Metro avançaram 2,37%, depois de a empresa anunciar a compra das unidades da Wal-Mart na Alemanha. Na semana, o DAX acumulou uma alta de 4,67%. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em alta de 221 pontos (0,61%), a 36.720 pontos. As ações da ENI subiram 0,71%, ainda em reação a seu informe de resultados. Na semana, o S&P-Mib acumulou uma alta de 3,17%. A Bolsa de Madri fechou com o índice Ibex-35 em alta de 119,00 pontos (1,01%), a 11.887,40 pontos. As ações da Unión Fenosa subiram 2,70%, em reação a seu informe de resultados. As da Gamesa, que também divulgou resultados, avançaram 3,03%. As da Endesa subiram 2,40%, depois de as autoridades espanholas darem aprovação condicional para sua aquisição pela alemã E.On. Na semana, o Ibex acumulou uma alta de 4,88%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 29,47 pontos (0,31%), a 9.668,00 pontos. As ações da Energias de Portugal subiram 1,64%, em reação a seu informe de resultados. Um operador observou que os volumes deverão ser reduzidos na próxima semana, com o início da temporada de férias de verão em Portugal. Nesta semana, o PSI-20 acumulou uma alta de 2,27%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.