Problema técnico em corretora provoca alta de mais de 5% da Bolsa da China

O índice Xangai Composto encerrou o pregão em baixa de 0,7%, depois de ter subido forte na sessão

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

16 de agosto de 2013 | 06h53

O índice Xangai Composto, da Bolsa de Tóquio, subiu 5,6% em questão de minutos nesta sexta-feira e algumas das grandes ações chinesas registraram forte alta, alimentando especulações sobre uma falha de negociação.

Os ganhos do índice surpreenderam, porque os temores sobre o fim da compras de bônus do Federal Reserve pesaram nos mercados regionais. A alta da bolsa chinesa levou o índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, para território positivo. A bolsa subiu quase 200 pontos antes de encerrar em queda de 0,10%.

O jornal 21 Century Business Herald disse que a turbulência foi causada por um erro de negociação na corretora Everbright Securities Co. As ações da empresa tiveram a negociação suspensa em Xangai e a Everbright admitiu mais tarde problemas internos no sistema de negociação e disse que estava conduzindo uma investigação. O problema fez com que as ações da filiada da corretora, a China Everbright Ltd., caíssem mais de 8% em Hong Kong na sessão da tarde antes de encerrarem com declínio de 5,5%.

"Isso é o tipo de coisa que não inspira confiança no mercado", diz Chris Weston, estrategista de mercado da corretora IG em Melbourne. "Dinheiro real está sendo perdido hoje, quando não precisa ser."

Ásia

Os mercados de ações da Ásia fecharam em queda nesta sexta-feira, com destaque para a forte volatilidade na China. Os papéis em Xangai chegaram a atingir uma alta de 5,6% na sessão, contudo passaram a cair no decorrer do pregão e fecharam em queda.

O índice Xangai Composto encerrou o pregão em baixa de 0,7%, aos 2068,45 pontos e o índice Shenzhen Composto caiu 2%, para 980,61 pontos.

Acompanhando as voláteis movimentações em Xangai, o índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, caiu 0,1%, para 22.517,81.

Em grande parte dos mercados asiáticos, o foco também residiu sobre estímulo governamental. As ações foram influenciadas pelas quedas em Wall Street na quinta-feira, após dois indicadores econômicos reforçarem a ideia de que o Federal Reserve pode acabar em breve com seu programa de compra mensal de títulos. Os pedidos semanais de auxílio-desemprego dos EUA caíram para um nível que não era visto desde outubro de 2007 e os preços ao consumidor subiram pelo terceiro mês seguido.

Os mercados na Ásia, especialmente, no Sudeste Asiático, têm sido particularmente vulneráveis às expectativas sobre a política monetária dos EUA nos últimos meses. Nas Filipinas, o índice PSEi perdeu 0,83% e fechou aos 6.525,95 pontos. Na Coreia do Sul, o índice Kospi cedeu 0,2%, aos 1.920,11 pontos, e o índice Taiwan Weighted encerrou o pregão aos 7925,00 pontos, o que corresponde a uma alta de 0,5%.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.