Procura por bons negócios faz Tóquio fechar em alta

O mercado japonês registrou alta nesta terça-feira pela primeira vez em seis pregões. A queda do iene resultou em procura por papéis subvalorizados nos setores siderúrgico, imobiliário, de seguros e exportador. O índice Nikkei 225 subiu 202,25 pontos, ou 1,2%, para 16.844,50 pontos. Os investidores continuam a se direcionar pelos movimentos de Wall Street, mas alguns traders dizem que a Bolsa de Tóquio deve estar perto de atingir o fundo do poço, já que muitas ações já estão com o preço muito baixo na comparação com os fundamentos da economia japonesa e com os ganhos das empresas. Nikko Cordial - um dos integrantes do índice Nikkei 225 - registrou grande recuperação. Esse movimento diminuiu o risco de flutuações futuras e estimulou a migração de posições antes do vencimento do contrato, na sexta-feira. Os papéis da seguradora avançaram 13,7% em razão das expectativas de oferta do Citigroup, que poderia transformar a terceira maior seguradora do país numa subsidiária. Outras empresas do setor também se beneficiaram dessa recuperação. Daiwa Securities teve alta de 2,6% e Nomura Holdings subiu 1,3%. Shinko Securities aumentou 4% e Mito Securities subiu 8%. ?Nós devemos tomar cuidado com os movimentos do mercado, mas uma baixa de 8,6% (do Nikkei 225) em cinco sessões é uma pista de que deve haver alguma recuperação?, disse Tsuyoshi Segawa, estrategista da Shinko Securities. No setor siderúrgico, Nippon Steel avançou 8,3% e JFE Holdings subiu 6,4%, enquanto Sumitomo Metal Industries teve alta de 5,9%. Dentre as exportadoras, Toyota Motor subiu 3,5%. A ação foi beneficiada em parte pela declaração da Merrill Lynch, que elevou a classifição do papel para ?comprar?. Sony teve aumento de 4,1% e Toshiba fechou em alta de 2,4%. Orient Corp., que tem perspectiva de grandes perdas para o final do ano fiscal (que termina em março), registrou aumento de 1,8% depois que o Mizuho Financial Group e outras empresas do setor prometeram uma injeção de capital. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.