Projeção para juro futuro recua com instabilidade externa

A instabilidade do cenário externo, onde crescem as apostas de alta de 0,50 ponto porcentual na taxa do juro de curto prazo americano, os chamados Fed Funds, na próxima quinta-feira, afetou o mercado brasileiro de juros, mas de forma comedida. O juro do contrato de depósito interfinanceiro (DI) na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o mais negociado, caiu e fechou projetando taxa de 15,50% ante 15,54% de ontem. Esse clima explica-se pelo fato de o mercado de Nova York estar passando por mais um momento de volatilidade, que deve permanecer até que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Fed (o banco central dos EUA) tome sua decisão sobre a nova taxa de juros do país. Se a aposta de alta de 0,25 ponto porcentual nos Fed Funds era já considerada dada, agora os mercados viram crescer as chances de uma alta maior. Os contratos futuros dos Fed Funds para julho estão embutindo agora 12% de chance de ocorrer um aperto de 0,50 ponto percentual na próxima semana, assim como o ciclo de alta prosseguir além disso. Ontem, nos Fed Funds futuros, essa possibilidade era de 8%. As taxas dos títulos do Tesouro dos EUA prosseguiam em alta à tarde. A Turquia também foi citada nas mesas de operação como um "incômodo" para os países emergentes, ainda que sua situação fiscal não seja semelhante à do Brasil. O Banco Central turco anunciou esta manhã a convocação de um encontro extraordinário de seu Comitê de Política Monetária no domingo. O anúncio ocorre três dias após a reunião regular, na qual a autoridade monetária decidiu manter as suas principais taxas de juros inalteradas, e em meio a um forte enfraquecimento da lira ante o dólar e da queda dos títulos do país.

Agencia Estado,

23 de junho de 2006 | 16h14

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.