Projeções de juros caem, ainda reflexo de Copom e IPCA

O mercado de juros já abriu em queda nesta sexta-feira, depois do estresse pelo qual passou durante a semana. No inicio dos negócios, a taxa futura do DI para janeiro de 2008, o contrato mais líquido na Bolsa de Mercadorias & Futuros, estava em 15,71%, ante 15,80% do fechamento de ontem. A melhora do humor, segundo operadores consultados, deve-se ainda ao reflexo da ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada ontem, menos pessimista do que o imaginado pelo mercado. ?É tudo reflexo de ontem, IPCA e ata?, resumiu uma fonte. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado ontem pelo IBGE e que serve de referência para o regime de metas de inflação do governo, mostrou que a inflação de maio ficou em 0,10%, ante 0,21% em abril. As apostas para a próxima reunião do Copom começam a se desenhar entre uma queda de 0,25 ponto porcentual da taxa Selic e de 0,50 pp. Ainda é cedo, no entanto, para afirmar que estas projeções se manterão até as vésperas do próximo encontro dos diretores do Banco Central, marcado para ocorrer nos dias 18 e 19 de julho. Também contribui hoje para os juros a abertura mais positiva dos mercados internacionais. As principais bolsas européias e o índice futuro do S&P em Nova York operam em alta nesta manhã. Vale lembrar que o dia será beneficiado pela proximidade do final de semana, da expectativa com uma semana mais curta em razão do feriado de Corpus Christi e até mesmo com o início da Copa do Mundo de Futebol. Mas até que a festa comece, ainda há o que monitorar. Às 11 horas, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke dará uma aula inaugural no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Cambridge (Massachusetts). Ele pode até não tocar nos assuntos inflação e política monetária, mas até que termine seu pronunciamento é para Bernanke que será dirigida toda a atenção. No mercado doméstico, operadores acompanharão o anúncio do resultado da operação de compra de títulos da dívida externa pelo Tesouro Nacional, iniciada na segunda-feira. A divulgação está prevista para as 11 horas. De acordo com um operador consultado, a expectativa é a de que a operação seja bem-sucedida. Ele não descarta, porém, uma possível realização após a divulgação do resultado, principalmente dos títulos mais longos.

Agencia Estado,

09 de junho de 2006 | 10h10

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.