Protesto na frente da fábrica da Multibrás continua hoje

Já ocorrem protestos esta manhã na Multibrás, que vai mudar sua fábrica de São Paulo para Rio Claro, no interior de São Paulo, dispensando 450 trabalhadores. Os protestos são realizados por metalúrgicos em frente à unidade que será fechada na rua Olímpia Semeraro, no Jardim Santa Emília (região sudeste da capital), com apoio de trabalhadores de outras empresas.Cerca de 300 operários das empresas Anthes, Driveway, MontSant e P.S. Indústria e Comércio também paralisaram suas atividades e estão presentes no ato em frente a Multibrás, que é controlada pela norte-americana Whirlpool. Os metalúrgicos prestam solidariedade aos trabalhadores da Multibrás que serão demitidos em razão da transferência da empresa para o interior.Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Eleno Bezerra, os trabalhadores recusaram ontem à tarde a nova proposta da empresa em conceder, além de 0,5 salário por ano de trabalho, quatro meses de convênio médico e quatro meses de cesta básica. "A proposta continua sendo muito ruim. Diante da recusa dos trabalhadores, a superintendência geral da Multibrás ficou de fazer uma nova proposta na quinta-feira, às 10 horas. Até lá, continuaremos nossa mobilização em defesa dos direitos dos trabalhadores e em repúdio à forma como a empresa tem conduzido a questão", disse Bezerra.A Multibrás (Whirlpool) é fabricante de eletrodomésticos das marcas Brastemp e Consul. Só na unidade paulista eram fabricados 60 mil fogões Brastemp por mês. Já na fábrica de Rio Claro são produzidos fogões Consul e lavadoras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.