Queda do dólar derruba bolsa de Tóquio, que perde 0,7%

A queda do dólar frente ao iene arrastou a cotação das ações das empresas exportadoras japonesas e fez a Bolsa de Tóquio fechar em baixa nesta terça-feira. A rápida recuperação do mercado após as perdas da semana passada estimulou a realização de lucros em setores que tiveram fortes ganhos nos últimos dias, como a siderurgia. O índice Nikkei 225 recuou 0,7%, para 17.178,84 pontos, com um fraco volume de negócios. ?É difícil encontrar ações que possam sustentar o mercado?, comentou Terushige Shibata, chefe de informações sobre investimentos da Mizuho Investors Securities. Ele acredita que isso deve manter o Nikkei 225 entre os 16.900 e os 17.500 pontos nesta semana. Segundo os operadores, os papéis das siderúrgicas, das companhias de metais não-ferrosos e de outros setores que ajudaram a bolsa a se recuperar do tombo iniciado há duas semanas nos mercados globais agora parecem supervalorizados, e os investidores estão tendo dificuldade para encontrar ações que possam substituí-los. Além disso, permanece a preocupação a respeito das perspectivas para a economia dos EUA. As ações da Nikko Cordial dispararam 6,1%. A decisão da Bolsa de Tóquio de manter a empresa listada no pregão levantou a expectativa de que o Citigroup melhore a oferta aos acionistas da corretora, a terceira maior do Japão. Entre as empresas exportadoras e de siderurgia, Sony perdeu 2,1% e Nippon Steel teve o mesmo porcentual de queda. A Japan Servo, empresa controlada pela Hitachi que fabrica motores de pequeno porte para computadores, equipamentos de escritório e máquinas industriais, teve um salto estratosférico de 40%. A Hitachi decidiu aceitar uma oferta feita pela Nidec para a compra da Japan Servo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.