Randon tem pouca procura; demanda de American Banknote é forte

A oferta de ações da Randon teve procura modesta tanto entre os investidores pessoas físicas como entre os institucionais, segundo fontes que acompanham a operação. Como se trata de uma oferta 'follow on', ou seja, de uma empresa já listada, não houve um maior apelo para a vendas dos papéis, ao contrário do que ocorreu com a estreante American Banknote. Porém, como a oferta é relativamente pequena, de R$ 250 milhões, deve ser colocada totalmente. Os papéis devem sair ao preço de R$ 8,90 a R$ 9, com pequeno desconto em relação à cotação de mercado (R$ 9,14). Conforme as fontes, a sensação no mercado é que os papéis da fabricante de carrocerias para caminhões e autopeças já subiram bastante este ano (+22%) e não teriam apelo para novas altas. No entanto, em 12 meses, a valorização é de 44%, abaixo do Ibovespa, que soma 57% no período. A companhia deverá colocar 28,5 milhões de papéis. A distribuição primária prevê a oferta de até 2 milhões de ações ordinárias e até 10 milhões de papéis preferenciais, que serão destinadas prioritariamente aos acionistas da companhia. Eles somente poderão colocar pedidos de reserva sobre as ações da oferta da mesma espécie que forem possuidores e na mesma proporção de sua atual participação. Já a colocação secundária abrange 16,509 milhões de papéis preferenciais. Deste total, cerca de 45% são de acionistas vendedores representados pela Geração Futuro Corretora de Valores; 17,5% são de titularidade da Fundação dos Economiários Federais (Funcef) e 36,5% pertencem ao Fundo Fator Sinergia Fundo de Investimentos em Ações. As fontes informaram ainda que a procura pelas ações da American Banknote alcançou entre quatro e cinco vezes o total ofertado. A precificação final deve acontecer nesta quarta-feira e, conforme as fontes, ficará entre R$ 16 e R$ 17. As ações da instituição estréiam na quinta-feira no Novo Mercado da Bovespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.