Reajuste contratual do gás boliviano será de 2,1%

A Petrobras acaba de anunciar que o preço do gás natural importado da Bolívia será reajustado a partir de 1º de outubro em 2,1%. Este gás abastece as companhias distribuidoras das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O reajuste, que acontece trimestralmente, está previsto no contrato de importação do gás, válido até 2019. Com o reajuste, o preço da commodity passou de US$ 3,68 por milhão de Btu (unidade britânica que mede o poder calorífico do energético) para US$ 3,76 por milhão de BTU. O porcentual ficou abaixo do que havia sido previsto no início do mês de setembro pelo diretor de Gás e Energia da Petrobras, Ildo Sauer, devido a uma redução acentuada durante o mês de setembro no valor da cesta de óleos internacional que rege o preço do gás.Segundo nota divulgada pela Petrobras à imprensa hoje, com o reajuste, o preço médio de venda, incluindo a tarifa de transporte, passou de US$ 5,39 por milhão de BTU para US$ 5,47 por milhão de BTU, o que representa um reajuste de 1,48%. Para os volumes acima de 16 milhões de metros cúbicos por dia adquiridos pela Petrobras junto à YPFB, o preço da commodity foi reajustado no mesmo porcentual, passando de US$ 4,52 por milhão de BTU para US$ 4,61 por milhão de BTU, o que corresponde a um preço no city-gate de US$ 6,31 por milhão de BTU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.