Receio com China também afeta bolsas da Europa

Dados da economia chinesa divulgados no fim de semana deixaram investidores preocupados com a perspectiva de crescimento do país

Clarissa Mangueira, da Agência Estado, com informações da Dow Jones Newswires,

12 de março de 2014 | 14h48

As bolsas europeias fecharam a sessão desta quarta-feira, 12, em queda, afetadas pelas preocupações com a economia da China, o desempenho mais fraco que o esperado da indústria na zona do euro e a situação indefinida da Ucrânia.

Dados comerciais da China divulgados no fim de semana deixaram os investidores preocupados com a perspectiva econômica do país. Amanhã, saem os relatórios das vendas no varejo e da produção industrial chineses.

Além disso, as tensões na Ucrânia continuarão a afetar o sentimento nos mercados acionários. O grupo das sete nações mais industrializadas do mundo, conhecido como G-7, afirmou hoje que não reconhecerá os resultados do referendo na Crimeia sobre a separação da Ucrânia e anexação da região à Rússia, marcado para este domingo. Os novos líderes ucranianos se reunirão nesta quarta-feira em Washington com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e outras autoridades norte-americanas, para buscar apoio dias antes do referendo.

Entre os indicadores da região divulgados hoje, a produção industrial da zona do euro caiu 0,2% em janeiro ante dezembro. Os analistas previam alta de 0,5% na produção. Na comparação anual, houve crescimento de 2,1% em janeiro, acima da alta esperada de 2,0%.

No fim da sessão, o índice FTSE, da Bolsa de Londres, terminou em queda de 0,97% (64,62 pontos), para 6.620,90 pontos. O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, perdeu 1,28% (119,10 pontos), para 9.188,69 pontos. O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 1,00% (43,46 pontos), para 4.306,26 pontos. O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, recuou 0,25% (52,46 pontos), para 20.781,46 pontos. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, fechou em baixa de 0,91% (92,90 pontos), para 7.517,24 pontos. O índice PSI20, da Bolsa de Lisboa, caiu 1,64% (125,54 pontos), para 7.516,24 pontos.

Entre os destaques corporativos, as ações da companhia de serviços de segurança G4S recuaram 5,26% na Bolsa de Londres, após terá anunciando prejuízo em 2013. Na Bolsa de Frankfurt, as ações da Henkel, ThyssenKrupp e da Continental fecharam em queda de 2,7%. Já os papéis da E.ON subiram 2,7%, após a empresa reportar lucro operacional acima das expectativas.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.