Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Receio renovado com Europa faz dólar subir para R$ 1,85

Moeda norte-americana sobe pelo segundo dia seguido e vai ao maior valor desde 28 de novembro 

Silvana Rocha, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2011 | 18h27

A Alemanha teve forte peso hoje na formação de preço do dólar, tanto para a queda pela manhã à mínima de R$ 1,8340 (-0,54%) no balcão como para a alta à tarde até a máxima de R$ 1,860 (+0,87%). Paralelamente, o ajuste de alta sustentou-se em reação ao rebaixamento pela agência Fitch da perspectiva do rating da Bulgária, República Checa, Letônia e Lituânia para estável e ao fluxo cambial negativo no mercado brasileiro. A expressiva volatilidade da moeda norte-americana também propiciou oportunidades de negócios e aumento dos volumes financeiros transacionados.

Desse modo, o dólar à vista fechou em alta pelo segundo dia seguido, cotado a R$ 1,8540 (+0,54%) no balcão - maior valor desde 28 de novembro (a R$ 1,8560). Na BM&F, o dólar à vista encerrou com ganho de 1,07%, a R$ 1,8590. No mês, o dólar balcão acumula valorização de 2,49% e, no ano, de 11,42%.

Mais cedo, o aumento do índice de expectativas econômicas da Alemanha em dezembro, após nove meses de recuo, sustentou a discreta melhora nos mercados e o recuo do dólar ante as principais moedas rivais, como o euro e o real.

Contudo, no começo da tarde, a divisa norte-americana reverteu as perdas em meio ao tombo do euro a US$ 1,3057 - menor valor desde 13 de janeiro. O dólar ganhou suporte positivo, sobretudo, após relatos de que a chanceler alemã, Angela Merkel, rejeitou o aumento do limite do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), atualmente em 500 bilhões de euros.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.