Recibo da Vale foi o mais negociado em NY em agosto

Os ADRs (recibos de ações negociados nos EUA) da Companhia Vale do Rio Doce registraram o maior número de negócios entre todos os ADRs transacionados em Nova York em agosto, de acordo com o Bank of New York, instituição que custodia estes ativos. No total, 230,88 milhões de ADRs da mineradora brasileira trocaram de mãos no mês passado - 167,013 milhões de papéis ordinários (ON) e 63,873 milhões de preferenciais (PN). Em junho, a empresa mais negociada foi Nokia, com 201,179 milhões de papéis. É importante destacar que a Vale teve forte exposição no noticiário em agosto. No dia 11 do mês passado, a mineradora brasileira anunciou oferta, à vista e em dinheiro, de 86 dólares canadenses por cada ação da mineradora de níquel Inco. Em um primeiro momento, a companhia do Canadá recusou a proposta da Vale, mas, já no início de setembro, anunciou que não prosseguiria com a aliança amigável com a norte-americana Phelps Dodge e que estava aberta a negociar com a companhia brasileira. De acordo com a Vale, à época do lançamento da oferta, "a aquisição da Inco concorrerá para formação de uma das três maiores mineradoras diversificadas do mundo, com liderança no mercado global de minério de ferro, pelotas, níquel, bauxita, alumina, manganês e ferro ligas, e um excepcional portfólio de projetos de classe mundial, composto por reservas minerais significativas e de alta qualidade". A oferta da Vale está aberta até 28 de setembro. A lista dos cinco mais negociados do mundo prossegue com Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (200,64 milhões), a finlandesa Nokia (144,3 milhões), a israelense Teva Pharmaceutical Industries LTD (114,12 milhões) e a mexicana América Móvil (93,92 milhões). O setor que mais tem representantes entre as 20 primeiras colocações é o de hardware de tecnologia e equipamentos, com seis nomes. Mineração aparece três vezes e telefonia móvel, duas. Entre os brasileiros, os mais negociados depois de Vale foram Vivo Participações (69,87 milhões), Petrobras ordinárias e preferenciais (61,14 milhões), Telemar (39,43 milhões) e Gerdau (31,7 milhões). O País foi líder em número de ADRs negociados - 626,12 milhões, 16,8% a mais que o volume registrado em julho. Em valor transacionado, o montante dos ADRs brasileiros chegou a US$ 18,12 bilhões em agosto, 10,5% a mais que em julho, e foi encabeçado pelos papéis da Petrobras ON e PN (US$ 5,46 bilhões, ou pouco mais de 30% do total), Vale ON e PN (US$ 4,94 bilhões) e Unibanco (US$ 1,29 bilhão). Numa comparação entre países, o valor dos ADRs nacionais negociados ficou abaixo apenas da soma de US$ 19,37 bilhões registrada pelas companhias do Reino Unido. Brasil e Reino Unido têm feito um revezamento na liderança do giro financeiro em Nova York. Entre março e junho, o Brasil ficou à frente, enquanto nos dois últimos meses os ADRs britânicos somaram maior volume financeiro.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2006 | 18h00

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.