Recuperação de Nova York leva ganho a bolsas da Europa

Bom humor em Wall Street após resultado do Citigroup e avanço do setor de varejo contagiou os mercados europeus

Sergio Caldas, da Agência Estado, com Dow Jones Newswires,

14 de abril de 2014 | 13h25

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, 14, com as principais delas nas máximas do dia, impulsionadas pelo bom desempenho das ações em Nova York, que no começo da tarde se recuperavam das fortes perdas registradas nas últimas sessões. O índice pan-europeu Stoxx 60 terminou o pregão com alta de 0,31%, a 329,79 pontos.

O bom humor em Wall Street, que acabou contagiando os mercados europeus, foi motivado pelo bom desempenho trimestral do Citigroup e pelo avanço melhor que o esperado no setor de varejo dos EUA. O lucro do Citigroup nos primeiros três meses do ano veio acima do esperado e as vendas no varejo norte-americano saltaram 1,1% em março ante fevereiro, o maior ganho desde setembro de 2012 e acima da previsão dos analistas, de acréscimo de 0,8%.

Antes disso, as bolsas europeias vinham operando em baixa significativa em meio ao recrudescimento da crise na Ucrânia. No fim de semana, o governo ucraniano mobilizou forças militares para combater militantes pró-Moscou que estenderam seu controle a várias cidades no leste do país. Pelo menos um oficial ucraniano foi morto e outros cinco ficaram feridos nos combates. Em resposta à escalada do conflito no Leste Europeu, autoridades na União Europeia e EUA sinalizaram hoje estar dispostas a ampliar as sanções à Rússia.

Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 0,34%, fechando na máxima intradia de 6.583,76 pontos. A Glencore Xstrata se destacou no pregão inglês, avançando 2,02%, após anunciar a venda do projeto de cobre Las Bambas Peruvian, no Peru, a um consórcio chinês liderado pela MMG, por US$ 5,85 bilhões, e a compra da Caracal Energy, por aproximadamente US$ 1,35 bilhão.

Também fecharam nas máximas do dia o índice francês CAC 40, que subiu 0,43%, a 4.384,56 pontos, e o alemão DAX, que avançou 0,26%, a 9.339,17 pontos. Pouco após o fechamento do mercado em Paris, o grupo varejista Casino, cujas ações tiveram alta marginal de 0,15%, divulgou que teve receita de 11,3 bilhões de euros entre janeiro e março. Em Frankfurt, os destaques de alta e baixa foram K+S (+2,7%) e Lufthansa (-2,8%).

A Bolsa de Milão também se recuperou ao longo da sessão, com o índice FTSE Mib garantindo alta de 0,55%, a 21.314,56 pontos. Entre os bancos italianos, UniCredit subiu 1,20% e Intensa Sanpaolo teve ganho marginal de 0,17%. Nos mercados que fecharam em baixa, o índice Ibex 35, de Madri, recuou 0,17%, a 10.188,20 pontos, enquanto o PSI 20, de Lisboa, cedeu 0,32%, a 7.310,83 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.