Recuperação global estimula alta das bolsas asiáticas

Valorização dos mercados de ações dos EUA e da Europa, aliada à presença de investidores em busca de ofertas de ocasião, impulsionaram investidores na Ásia; Hong Kong subiu 1,6%

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

20 de abril de 2011 | 07h54

Os mercados asiáticos fecharam em alta nesta quarta-feira. A recuperação nas bolsas dos Estados Unidos e da Europa, aliada à presença de investidores em busca de ofertas de ocasião, estimularam os investidores da região. Os bons resultados da tecnológica Intel também tiveram reflexos nas bolsas.

Este foi o caso da Bolsa de Hong Kong, que encerrou quatro sessões seguidas de queda. O índice Hang Seng subiu 375,48 pontos, ou 1,6%, e encerrou aos 23.896,10.

Tóquio encerrou o dia em alta acentuada, com investidores encorajados pelos resultados positivos do balanço da Intel, bem como com o iene mais fraco - que ajudou empresas de chips, como a Tokyo Electron.

O índice Nikkei 225 avançou 1,76% e fechou aos 9.606,82 pontos. Mas o volume permaneceu relativamente baixo, com 1,76 bilhão de ações. O mercado abriu com força, após a gigante americana Intel anunciar resultados trimestrais surpreendentemente positivos e fornecer projeções para o segundo trimestre melhores do que o esperado. O presidente da Intel, Paul Otellini, afirmou também que a companhia não prevê interrupções no fornecimento de suas linhas após o forte terremoto que assolou o Japão no dia 11 de março.

Já as Bolsas da China fecharam em ligeira elevação, com a recuperação dos demais mercados regionais. O índice Xangai Composto ganhou 0,3% e fechou aos 3.007,04 pontos. O índice Shenzhen Composto subiu 0,4% e encerrou aos 1.274,25 pontos.

O yuan atingiu valorização histórica sobre o dólar, após o Banco Central chinês fixar novo recorde para a taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,5346 yuans para 6,5294 yuans). No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,5255 yuans - mas chegou ao recorde de 6,5244 yuans durante a sessão -, de 6,5305 yuans do fechamento de terça-feira.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em forte alta, impulsionada pelos ganhos em ações de peso pesados do setor bancário e de tecnologia. O índice Taiwan Weighted avançou 2,02% e terminou aos 8.813,28 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi, da Bolsa de Seul, disparou 2,2% e fechou aos 2.169,91 pontos, novo recorde de fechamento.

A Austrália recuperou as perdas da véspera, impulsionada também pelos números positivos da economia dos EUA. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, ganhou 1,4% e fechou aos 4.859,0 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou o dia em alta, com os investidores entusiasmados com Wall Street. O índice PSE subiu 0,70% e fechou aos 4.274,77 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em alta, ajudada pelos robustos balanços que direcionaram o mercado em Wall Street e liderada por papeis relacionados ao petróleo, com o recuo na alta dos preços da commodity. O índice Straits Times subiu 1,3% e fechou aos 3.165,80 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 1,7% e fechou aos 3.794,76 pontos, liderado por compras de fundos estrangeiros de papeis de bancos e relacionados a produtos de consumo na expectativa de recuo na inflação em abril e fortes balanços no primeiro trimestre.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, avançou 1,1% e fechou aos 1.107,36 pontos, seguindo o momento positivo nos mercados mundiais, enquanto os robustos dados econômicos também colaboraram na ascensão.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,6% e fechou aos 1.531,02 pontos, ajudado por procura por barganhas. Ações de construtoras lideraram os ganhos na expectativa de novos contratos a serem outorgados em breve. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.