PHILIPPE LOPEZ|AFP
PHILIPPE LOPEZ|AFP

Regulador do mercado da China restringe venda de ações por grandes acionistas

A medida foi anunciada após os mercados fecharem mais cedo diante da queda forte das bolsas chinesas nesta quinta-feira

O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2016 | 10h46

XANGAI - O regulador do mercado acionário da China informou nesta quinta-feira, 7, que proibirá que os grandes acionistas possam vender mais de 1% do total de ações em circulação no país nos próximos três meses. A medida foi anunciada após os mercados fecharem mais cedo, com o sistema de circuit breaker acionado pelo segundo dia nesta semana, diante da queda forte nas bolsas chinesas.

A Comissão Regulatória de Ações da China determinou que os grandes acionistas - aqueles que detêm 5% ou mais das ações nas companhias listadas - não terão permissão para vender mais de 1% do total das ações em circulação nos próximos três meses, segundo comunicado do site do regulador.

O órgão também decidiu que os grandes acionistas precisam revelar para as bolsas com 15 pregões de antecedência seus planos para redução de seus estoques de ações.

As novas medidas foram anunciadas antes de uma determinação anterior, que proibia que os grandes acionistas vendessem ações durante seis meses, expirar nesta sexta-feira. As novas regras têm como objetivo "impedir a redução concentrada de ações" e "estabilizar as expectativas de mercado", diz o comunicado do regulador.

A comissão proibiu que os grandes acionistas vendessem participações por seis meses a partir de 8 de julho de 2015, em uma tentativa de conter a queda nos mercados acionários. (Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaMercado Financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.