Renault não comenta notícia sobre aliança com a GM

A montadora francesa Renault SA não fez comentários sobre notícias sugerindo que a norte-americana General Motors (GM) poderia integrar a aliança da concorrente francesa com a Nissan Motor, do Japão.As ações da GM dispararam nesta manhã, impulsionadas por informações de que um de seus maiores acionistas, a Tracinda (do bilionário Kirk Kerkorian), enviou uma carta para o chairman da companhia norte-americana sugerindo que o grupo deveria se unir à aliança Renault-Nissan. A Tracinda detém 9,9% de participação na GM. Às 12h10, a GM subia 4,25% na bolsa de Nova York.Em carta anexada ao documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários norte-americana (SEC, na sigla em inglês), Kerkorian diz acreditar que a Renault e a Nissan estão receptivas à idéia de incluir a GM em sua parceria e comprar uma fatia minoritária nessa empresa.A companhia de Kerkorian revelou ter discutido recentemente a cooperação entre as três, com uma aliança baseada na parceria com Carlos Ghosn - que é executivo-chefe da Renault e da parceria Renault-Nissan. A Renault detém participação de 44% na montadora japonesa. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.