Resultados corporativos ruins prejudicam mercados de ações europeus

Bolsas fecham em direções divergentes em pregão influenciado pela divulgação de balanços de empresas

Mateus Fagundes, da Agência Estado, com informações da Dow Jones Newswires,

13 de fevereiro de 2014 | 16h25

As bolsas europeias fecharam em direções divergentes em um pregão bastante influenciado pela divulgação de balanços de empresas. Após seis altas consecutivas, o índice europeu Stoxx 600 caiu 0,16%, para 331,48 pontos.

A divulgação de resultados corporativos ruins prejudicou o desempenho de alguns mercados de ações europeus. As ações do Lloyds Banking Group fecharam em baixa (-2,65%) após o banco anunciar que teve prejuízo no ano passado. Também apresentando fracos resultados, os papeis da fabricante de carros de luxo e turbinas Rolls-Royce tiveram fortes perdas (-13,64%) depois de ela anunciar que as receitas e o lucro de 2014 devem ficar estáveis na comparação com 2013. Por conta desses fracos desempenhos, o índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em baixa de 0,23%, a 6.659,42 pontos.

O banco francês BNP Paribas anunciou uma queda inesperada do lucro líquido no quarto trimestre de 2013, para 127 milhões de euros. As ações da instituição financeira cederam 2,55%. Apesar disso, o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 0,17%, a 4.312,80 pontos. O movimento foi influenciado pela subida de 5,59% das ações da montadora Renault, que divulgou os planos para aumentar a rentabilidade e as vendas no médio prazo, e também pelo ganho de 0,91% das ações do banco Société Générale, que divulgou nesta quinta-feira, 12, um aumento nos lucros.

A tensão política na Itália também esteve no foco dos investidores. Matteo Renzi, líder do maior partido do país, o Partido Democrático, fez um discurso pressionando o primeiro-ministro, Enrico Letta, a renunciar ao cargo. O atual premiê é acusado de não conseguir fazer com que o país saísse da crise econômica. Letta anunciou que irá entregar o pedido de renúncia nesta sexta-feira, 14, após o fechamento dos mercados europeus.

As declarações de Renzi agradaram o mercado italiano de ações e fizeram com que a Bolsa de Milão reduzisse as perdas do início da sessão. O índice FTSE MIB fechou com queda de 0,17%, a 20.110,30 pontos.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,60%, a 9.596,77 pontos. A alta foi impulsionada pelas ações do Commerzbank (+3,0%), que divulgou lucro líquido no ano passado, revertendo o prejuízo de 2012.

Nas máximas, a Bolsa de Madri encerrou o pregão com ganhos de 0,18%, a 10.098,90 pontos, e a Bolsa de Lisboa teve alta de 0,60%, a 7.026,99 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.