Resultados de empresas levam ganho a bolsas da Ásia

Na China, no entanto, bolsas encerram pregão com resultados divergentes devido ao forte terremoto

22 de abril de 2013 | 06h25

Os mercados de ações da Ásia fecharam majoritariamente em alta, puxados por resultados corporativos do primeiro trimestre. Já na China, o forte terremoto que atingiu a província de Sichuan levou as bolsas a resultados divergentes.

Segundo especialistas, o incidente na China afetará o sentimento dos investidores no curto prazo, principalmente, em ações de seguradoras, de empresas de lazer e hotéis. Por outro lado, os agentes do mercado também estão aguardando para analisar os dados preliminares do HSBC sobre a indústria, que devem ser publicados nesta segunda-feira.

O índice Xangai Composto caiu 0,1%, para 2.242,17 pontos, e o índice Shenzhen Composto subiu 0,6%, para 949,10 pontos. Já em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 0,1%, aos 22.044,37 pontos.

Embora o mercado mais amplo tenha se movido pouco, houve ganhos em empresas que poderão se beneficiar dos gastos de reconstrução. O Sichuan Shuangma Cement saltou 10,1% em Shenzhen, enquanto, em Hong Kong, o West China Cement subiu 5,8% e o China National Building Material ganhou 1,5%. O China Pacific Insurance (Group) caiu 2,3% em Xangai.

O mercado australiano foi influenciado pelo desempenho positivo nas ações dos EUA na sexta-feira, levando o índice S&P/ASX 200 a uma alta de 0,7%, aos 4.966,60 pontos.

O índice Kospi, da Bolsa de Seul, fechou em alta de 1%, aos 1.926,31 pontos, liderada por empresas de tecnologia e do setor bancário. O índice chegou a cair 0,3% no começo da sessão, mas se recuperou uma vez que os estrangeiros reduziram o volume de vendas. A LG Display avançou 2,2%. Após o fechamento do mercado, a empresa anunciou um lucro líquido no primeiro trimestre de 3,5 bilhões de wons, ante um prejuízo líquido de 129 bilhões de wons no ano anterior.

Em Taiwan, as ações da Bolsa de Taipé também terminaram em terreno positivo. O índice Taiwan Weighted avançou 0,5%, para 7.970,38 pontos. Segundo especialistas, os investidores estão aguardando os resultados corporativos para tomaram decisões mais agressivas.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, subiu para um novo recorde, impulsionada por notícias de fortes ganhos corporativos no primeiro trimestre e perspectivas de novas reduções da taxa de juros do banco central. O índice PSEi subiu 2,4% para um nível de fechamento histórico de 7.120,48 pontos. "Se o banco central cortar a taxa de juros ainda mais, então haverá liquidez adicional. Pode também haver espaço para melhorar os lucros da empresa", disse April Lee-Tan, diretora de pesquisa da Financial COL. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁSIABOLSAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.