Risco Brasil atinge mínima histórica de 182 pontos

O risco Brasil, medido pelo banco de investimentos JP Morgan, virou o dia ontem na mínima histórica, em queda de 8 pontos-base, a 182 pontos. O risco dos países emergentes recuou 6 pontos-base, a 166 pontos. O risco Brasil é o grau de desconfiança dos mercados financeiros em relação à capacidade de o país pagar sua dívida e é calculado com base no rendimento dos títulos da dívida externa no mercado secundário. Na prática, a medida em pontos representa quanto o país paga a mais em relação à rentabilidade garantida pelos bônus do Tesouro dos Estados Unidos. O risco Argentina subiu 1 ponto-base ontem, para 184 pontos. Já no caso do risco Brasil, a menor pontuação atingida anteriormente havia sido na semana passada, na terça-feira, quando estava em 185 pontos-base. Segundo agentes de mercado, o bom momento dos títulos da dívida externa de países emergentes, como o Brasil, ainda é reflexo do mercado norte-americano. Ou seja, uma continuidade da decisão do banco central americano (Fed) de quarta-feira, que manteve o juro estável em 5,25% ao ano nos EUA e emitiu um comunicado de política monetária que soou positivo sobre o crescimento econômico e a inflação nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.