Ahmad Yusni|EFE
Ahmad Yusni|EFE

Rumo, B3, Suzano e Carrefour são destaques entre recomendações

Rumo, Carrefour, Suzano e B3, são algumas das indicações semanais dos analistas

Beth Moreira, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2018 | 04h00

A temporada de balanços do segundo trimestre entrou no radar de bancos e corretoras, servindo como pano de fundo para as recomendações da semana. Rumo, Carrefour, Suzano e B3, são algumas das indicações. Analistas estão atentos ainda ao preços das ações em busca de boas oportunidades.

A Guide Investimentos substituiu Petrobrás PN por Rumo ON. “A troca é pontual, a fim de realizar os ganhos com o desempenho das ações da estatal e capturar potenciais ganhos com a divulgação do balanço do segundo trimestre da Rumo”, destaca a equipe de análise da Guide.

A corretora acrescenta ainda que a Rumo vem entregando resultados robustos, reportando uma forte geração de caixa operacional, com crescimento dos volumes transportados e ganhos de eficiência em sua operação.

A Magliano Invest fez duas alterações, com a inserção de Carrefour Brasil ON e EcoRodovias ON no lugar de Itaúsa PN e Sabesp ON. Sobre o varejista, o analista Sergio Goldman diz que apesar da atividade econômica bastante lenta e impactos da greve dos caminhoneiros, a empresa divulgou resultado do segundo trimestre acima das expectativas do mercado. “O varejo de alimentos será um dos primeiros a se beneficiar de possível reação da economia no pós-eleições”, observa.

A XP Investimentos fez duas alterações para a semana com a inclusão de B3 e Equatorial ON. Sobre a Bolsa, a equipe de análise da corretora destaca o sólido momento operacional. “Após resultados fortes já vistos este ano, esperamos que esta tendência persista, perdurando em 2019-2020 com a retomada da economia”, explica. 

Para a Equatorial, a equipe da XP enxerga um ponto de entrada atrativo para a ação nos níveis atuais, devido à eficiente gestão das distribuidoras Cemar e Celpa, baseada na redução de custos gerenciáveis e elevados investimentos para melhora de indicadores de qualidade da empresa. 

A Terra Investimentos trocou BRMalls por Copel PNB. Para o analista Régis Chinchila, a recomendação para a elétrica tem como principal ponto o desconto das ações frente a seus pares. Além disso, as perspectivas para os próximos anos são muito favoráveis, considerando os inúmeros projetos de expansão em que a empresa está envolvida, e um cenário mais benigno para o setor elétrico que segue em recuperação. 

A Planner tirou Energias do Brasil e adicionou Suzano ON. O analista Mário Roberto Mariante ressalta a continuidade da forte demanda chinesa, aliado à disciplina da companhia em relação aos gastos e maior eficiência. Ele diz ainda que continua positivo com relação aos números do Magazine Luiza e do setor financeiro. 

Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos, avalia que ações do setor financeiro são boas escolhas para se posicionar, dado seu caráter defensivo e lucros dos dois maiores já divulgados (Santander e Bradesco) em linha com o esperado.

O analista do Santander Ricardo Peretti destaca os segmentos de Papel & Celulose, Mineração, Petróleo & Gás e Siderurgia. “Esperamos que as empresas brasileiras apresentem resultados consolidados razoáveis, apesar do impacto da greve dos caminhoneiros. Projetamos que a receita líquida consolidada das companhias sob nossa cobertura cresça 13% ao ano, com alta de 27% e 16% para o Ebitda e lucro líquido, respectivamente”. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.